Imortal

POR: Fernando Pinheiro || Palavras Reflexão

Existem, provavelmente, mais de 170 bilhões de galáxias no universo observável. Ao menos é o que dizem os cientistas mais conceituados com a utilização de equipamentos de ponta (é muito zero para contar!).

Mas vamos prosseguir nesse raciocínio: desses bilhões, existe 1 galáxia, que é onde nós moramos. Deixando as outras cento e sessenta e nove bilhões, novecentos e noventa e nove milhões, novecentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e nove galáxias de lado (ufa, cansei!), vamos falar apenas da Via-Láctea, que é essa 1 galáxia só, em meio a tantas, como mencionei, onde se encontra o nosso lar.

universo1Sim, nesta 1 galáxia, estima-se a existência de 100 bilhões de planetas espalhados por ela. (…) Ainda acho que é muita coisa! Então deixemos de lado esses noventa e nove bilhões, novecentos e noventa e nove milhões, novecentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e nove planetas (cansei menos dessa vez!), e falemos apenas de um, sim, um planeta bonitinho, azul, chamado Terra!

Aqui em nosso mundo, existem aproximadamente 7 bilhões de pessoas (vivas) caminhando sobre esse planeta. Sete bilhões de histórias sendo escritas! E se fôssemos falar apenas dos problemas de uma pessoa, teríamos que ignorar as outras seis bilhões, novecentos e noventa e nove milhões, novecentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e nove pessoas.

Para que tudo isso? Todos esses números?

Estive caminhando, por quase 2 quilômetros, até o ponto de ônibus, num dia comum, pós-expediente, e pensei em minhas dívidas e diversos problemas, tentando classificá-los em seu grau de importância, ou impactos causados em minha minúscula esfera de (sobre)vivência. Então, no tocante a essa realidade de grandeza, fui acometido por uma sensação que não me lembro de sentir em meus 34 anos de existência (pode até ser que eu tenha me esquecido, mas quem é que não se esquece?). Não, eu não consegui chorar, apenas dar risada em alto e bom som… Afinado sempre, por sinal! (Modéstia à parte).

O que é a raça humana?! Senti nojo de nossa “super/mega/blaster” autoestima “hiper” elevada ao cubo com “service pack” multiplicado por mil! (Desculpem! Talvez eu não esteja em meus melhores dias.)

Qual é o impacto de uma vida humana diante disso tudo? De toda essa grandeza? Estamos falando de um universo físico, e até, em se tratando disso, do nosso referido “planetinha”, que está em meio aos noventa e nove bilhões, e mais alguns milhões para lá, de outros planetas, que compõem apenas em uma única galáxia, que está dentro de outras 170 bilhões de galáxias, no universo observável (segundo a ciência).

O que é a Terra em meio a tudo isso?! O que é o nosso mundo? O que somos nós diante disso tudo?

Não tem como não pensar em Deus (Obviamente)! Mas, confesso que meu raciocínio truncou-se, sim, pois nesse âmbito tão macro, ficou ainda mais difícil compreender tamanho Amor, que ao meu ver, passou a ser ainda mais transcendental! (E o homem ainda fala de teologia! Como se pudesse colocar Deus sobre uma mesa e dissecá-lo!!!)

Vendo tal limite das coisas, onde estamos e vivemos, com tamanha grandeza aí fora, até os demônios e o diabo bíblico estão completamente limitados e confinados aqui nesse lugar! Sim, lugar tão pequeno, um grão de areia diante de toda a vasta areia espalhada do mundo!

Impressionante que diante de tanta coisa para se explorar e se descobrir, ou seja, todo esse universo de bilhões de galáxias e planetas, nós vivemos em média apenas 80 anos (quando bem vividos!) e logo desaparecemos no esquecimento! Nossos “ecos” desvanecem como o som de um sino de igreja, onde largaram a corda após soá-lo.

O que somos? Frutos do meio? Se possuímos uma alma e/ou espírito e tão logo abandonaremos esse plano físico, para sempre, (como dizem alguns), logo essa vastidão não tem sentido nenhum! Não, não há razão para todo esse universo!!! O que seria um verdadeiro desperdício! (Ao menos não vejo tal atributo no Mestre, o Verbo agente da criação, quando multiplicou os pães). A não ser que existam outros seres dotados de inteligência para ocupar tamanho espaço (quem é que pode dizer?).

Vamos falar de representatividade percentual. A nossa Via-Láctea é o mesmo que 0% diante da quantidade existente de Galáxias! Para ser mais exato, o percentual é: 0,0000000006%. Quer um exemplo melhor? Digamos que você seja um “mega bilionário” e possua R$ 170 bilhões em dinheiro, o percentual acima representaria apenas R$ 1,00 de toda essa fortuna. Entende a discrepância? (Chega a ser hilário!).

Sem contar o planeta Terra que representa apenas 0,00000001%, dentre a quantidade estimada de planetas em nossa “uma” galáxia. Seria R$ 1,00 (um real) em 100 bilhões!!!

Como somos arrogantes! (Desculpe, falei!)

Como, anseio ter meu corpo revestido de incorruptibilidade! Ser imortal e desvendar segredos, explorar lugares desconhecidos e indizíveis! Nisso percebo o quão diferente somos dos anjos! (Que são somente espíritos). Nosso corpo não foi desenvolvido ou projetado para ser jogado fora! E apesar de, atualmente, estar fora do propósito original estabelecido por Deus, (e isso será corrigido), e como bem disse Paulo, o apóstolo: “seremos transformados”! (Referências? Não seja preguiçoso! Procure na Bíblia! Isso não é uma aula de Teologia!))

Não, não deixaremos de ser nós mesmos, mas seremos revestidos em nossa carne (coisa que os anjos não possuem!). Como uma semente que, plantada, morre e transforma-se em outra coisa, completamente diferente, mas sendo ela mesma! Revestidos de incorruptibilidade! (Um adendo: o termo “corrupção” nesse contexto, utilizado por Paulo, está ligado a decomposição do corpo).

A raça humana, ainda encontra obstáculos no entendimento de todos os ecossistemas de nosso planeta, o que ainda pode levar (um bom) tempo! Que diremos dos outros noventa e nove bilhões, e “eteceteras” planetas, que estão dentro de apenas 1 galáxia, que engloba outras 170 bilhões! Nisso sinto o gemido pela vida! Entendo porque minha alma geme e chora! Eu quero viver! Melhor, isso me leva a crer que ninguém nasceu para morrer!

Algo muito fantástico foi criado e desenvolvido! Tão complexo e extenso de modo incalculável em nosso tempo ou permissões, para que pudéssemos explorar e conhecer, aprender e usufruir…

Não, nada disso acaba aqui! Até mesmo porque a Nova Jerusalém é bem pequena, em seu tamanho, diante de toda essa vastidão mencionada aqui! (Vou falar dela no meu próximo artigo). Tenho a sensação de que estamos apenas no início de tudo, mediante o que está por vir! Sim, que venha a imortalidade! Que venha O Ser Supremo, e transforme nossas vidas; daqueles que são chamados para fora, fora do tempo, fora do limite espacial; estabelecendo a efetividade de reis e sacerdotes… Maranata, ora vem!


Nascido em Suzano/SP. Casado, pai de duas princesas. Formado em Letras, Teologia e Pós-graduando em Docência e Gestão do Ensino Superior. Já liderou alguns ministérios na igreja local: Jovens, música, departamento de ensino e missões (inclusive algumas aventuras missionárias entre índios no Mato Grosso). Atualmente é diretor da plataforma de música na Companhia Arte & Mensagem e, esporadicamente, ministra palestras a quem quer que "se arrisque" chamá-lo. Não, ele não sabe assoviar e chupar cana ao mesmo tempo, embora tenha tentado (se é o que pensou!). É "aparentemente" normal, fã de videogames, super-heróis, rock, hq's, filmes e séries, desde ficção científica a romances e dramas que nunca o fazem chorar (pouco).

Cadastre-se

Curta nossa página


Topo