O Tabernáculo de Davi

POR: Fernando Pinheiro || Palavras Reflexão

Textos: Atos 15.16 / Amós 9.11:

“Depois disto voltarei, e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, levantá-lo-ei das suas ruínas, e tornarei a edificá-lo.” (At 15.16)

“Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de Davi, e repararei as suas brechas, e tornarei a levantar as suas ruínas, e o edificarei como nos dias da antiguidade;” (Am 9.11)

 

Em Atos 15 temos o que podemos chamar de 1º Concílio da Igreja em Jerusalém. Um problema foi levantado, e a Igreja se reuniu para resolvê-lo. Foi um conflito teológico de fé e de procedimentos, pois: “… alguns que vinham da Judeia ensinavam os irmãos: Se não vos circuncidar-vos, conforme o rito de Moisés, não podereis ser salvos” (Atos 15:1). (Preciso explicar o que é circuncisão? Não né!)

Foi então que Tiago se pronunciou usando tal referência contra o que parecia ser um legalismo religioso. Mas enfim, o que é o Tabernáculo de Davi? Existe o tabernáculo de Moisés, o Templo de Salomão, a reconstrução do templo, e o templo de Herodes (nos dias de Jesus). Mas então, qual é o Tabernáculo de Davi?

O referido Tabernáculo era simplesmente uma tenda! Isso mesmo! Uma pequena tenda onde pudesse caber a Arca da Aliança. Como assim? Como foi isso?!

Tabernáculo de DaviPouco antes de Davi ter sucedido Saul, como rei, a arca da Aliança, (que era o principal símbolo da presença e do poder de Deus), havia sido roubada pelos filisteus, e quando a recuperaram, ela ficou em Quiriate-Jearim, onde permaneceu na casa de Abinadabe (1Samuel 4:1 e 7:1). Desde então, Davi manifestou o desejo de levar a Arca da Aliança para Jerusalém, onde preparou uma tenda para ela, no Monte Sião, onde morava.

“Davi… arrumou um lugar para a arca de Deus, e lhe levantou uma tenda… Assim trouxeram a arca de Deus, e a puseram no meio da tenda que Davi tinha levantado para ela” (1 Cr. 15:1; 16:1).

Mas, antes de tudo isso, da arca ser roubada, ela ficava no tabernáculo construído por Moisés mediante ordem de Deus, e ficava num lugar chamado Santo dos Santos, onde não era permitida a entrada de ninguém, exceto ao sumo-sacerdote, que podia adentrar uma vez por ano, (onde realizava a propiciação dos pecados do povo – Hb 9:1, 7). O povo podia se aproximar somente até o pátio externo do tabernáculo, para apresentar seus sacrifícios e adorar a Deus.

Então, vamos ver se entendi, Davi ao invés de levar a Arca para o lugar dela (no Tabernáculo que ficava em Gibeom – 2Cr 1.3,4) no lugar Santo dos Santos, ele a levou para sua casa! (Não acredito que ele fez isso! Sim, ele fez!) Simples assim!

Se estudarmos um pouco mais os contextos entre tabernáculo, arca, cerimônias, templos, etc., e o que significava tudo isso, podemos concluir que Davi não era um cara normal. Uma vez ele entrou no templo e comeu pão que só era lícito aos sacerdotes! (1Sm 21.6). Isso mesmo!

O Tabernáculo de Davi marcou de forma revolucionária a maneira como o povo daquela época adorava a Deus. Não vou entrar em tantos detalhes, pois apesar de não ser um assunto muito explorado, é vasto. E para não prolongar muito o texto, vamos direto aos pontos: Davi se opôs ao que era de costume, estabelecido de forma religiosa. Na primeira vez deu muito errado e um homem morreu (1Cr 13.10). Às vezes a linha entre o que são formas de fazer e princípios a serem mantidos pode ser confundida. Davi aprendeu a lição e não desistiu! Ele foi diferente dos padrões religiosos estabelecidos. Não foi um homem perfeito, mas foi chamado de homem segundo o coração de Deus (1Sm 13.14) e seu Tabernáculo recebeu promessa de restauração e não o de Moises!

O Tabernáculo de Davi permaneceu aproximadamente por 40 anos, onde os Levitas ministravam diante da presença do SENHOR, sem sacrifícios sangrentos, mas com sacrifícios de Louvor, de Ações de Graças, de Júbilo, em Adoração contínua, “porque a Sua misericórdia dura para sempre” como cantou Davi muitas vezes. Isso mesmo, ele estabeleceu músicos (da linhagem de Levi) para cantarem e tocarem diante da arca da Aliança de forma contínua! Se você acha que é novidade esses eventos com 24, 48 e até 72 horas de adoração e louvor com música, está enganado! Davi é pioneiro nisso! (Boa parte do livro de Salmos é fruto disso!).

Penso que não preciso insistir em dizer que Davi foi um homem fora de seu tempo! E está mais do que claro o porquê da promessa de restauração desse Tabernáculo, sim, está muito ligado aos nossos dias. Mas esta resposta está no verso seguinte ao da promessa, em Atos 15:17:

“Para que o restante dos homens busque ao Senhor, e todos os gentios, sobre os quais o meu nome é invocado, diz o Senhor, que faz todas estas coisas.”

Hoje o Santuário de adoração não tem um lugar específico! Pois esse lugar, templo ou tabernáculo é feito de carne e osso! Isso mesmo, somos nós! Nós somos esse tabernáculo (1Co 3.16). E por essa razão, fica claro o próximo passo dessa restauração, profetizada naquilo que o Mestre disse à mulher samaritana, que o lugar de adoração não era nem naquele monte, onde esteve o Tabernáculo, e nem em Jerusalém, onde ficavam o templo e Arca da Aliança:

 “Mas vem a hora, e já chegou, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em Espírito e em Verdade; porque são estes que o Pai procura para Seus adoradores. DEUS é Espírito e importa que os Seus adoradores O adorem em Espírito e em Verdade.” Jo 4.23-24


Nascido em Suzano/SP. Casado, pai de duas princesas. Formado em Letras, Teologia e Pós-graduando em Docência e Gestão do Ensino Superior. Já liderou alguns ministérios na igreja local: Jovens, música, departamento de ensino e missões (inclusive algumas aventuras missionárias entre índios no Mato Grosso). Atualmente é diretor da plataforma de música na Companhia Arte & Mensagem e, esporadicamente, ministra palestras a quem quer que "se arrisque" chamá-lo. Não, ele não sabe assoviar e chupar cana ao mesmo tempo, embora tenha tentado (se é o que pensou!). É "aparentemente" normal, fã de videogames, super-heróis, rock, hq's, filmes e séries, desde ficção científica a romances e dramas que nunca o fazem chorar (pouco).

Cadastre-se

Curta nossa página


Topo